Bolsa e Aquecimento Global: de como o calor afeta as suas decisões

02

Um estudo recentemente publicado na revista Psychological Science, conclui que as pessoas tendem a condicionar suas opiniões sobre o aquecimento global à temperatura no momento de emitir a sua opinião. Se o dia está quente, as pessoas tendem a dar mais crédito à teoria do Aquecimento Global. Quando está mais frio, as opiniões também tendem a esfriar. A conclusão do estudo é que conveniência, falta de conhecimento e preconceito podem ter maior influência sobre o debate do que a ciência.

O mesmo acontece com o investimento em bolsa. Os investidores tendem a ficar mais otimistas quando a bolsa está subindo, e mais pessimistas quando a bolsa está caindo. Obviamente, há aqui um processo de retro-alimentação que não ocorre no debate sobre o clima. O clima não fica mais quente se as pessoas sentem mais calor, mas a bolsa pode subir mais se as pessoas ficam mais otimistas. Há, no entanto, dois tipos de otimismo: o otimismo bem informado, e o otimismo psicológico. O investidor bem informado tem mais chance de ganhar do que aquele que se move somente pela “temperatura externa”. Vejamos o porque (tudo o que vamos ver a seguir pode ser adaptado para o processo de queda da bolsa).

O processo de subida da bolsa ocorre normalmente assim:

1. A bolsa vem caindo (ou não subindo) há muito tempo, ou levou um tombo muito forte de uma só vez. Exemplo do primeiro caso é o que estamos vivendo no momento. Exemplo do segundo caso é o que aconteceu após a quebra da Lehman Brothers, em outubro de 2008.

2. Em determinado momento, o investidor bem informado considera que as ações estão muito baratas, fora de preço. Esta conclusão não acontece da noite para o dia, ela vai se formando aos poucos. Assim, alguns investidores bem informados começam a entrar na bolsa antes de terminar a queda, outros (poucos) acertam na mosca, e outros começam a entrar depois que a bolsa atingiu o seu ponto mais baixo. Na verdade, o investidor bem informado procura não concentrar suas compras em um único ponto do tempo, pois tem consciência de que é muito difícil acertar exatamente o momento da compra. Na medida em que vai ganhando convicção na “barateza” da bolsa, começa a comprar.

3. Neste primeiro momento, o investidor psicológico está looooooonge da bolsa. Tudo é pessimismo. Imagine entrar na bolsa neste momento, em que estamos no meio de uma crise. Faz frio, portanto essa coisa de aquecimento global é uma bobagem.

4. Aos poucos, os investidores bem-informados começam a levantar a bolsa. Vendo a bolsa subir de seus pontos mínimos, os últimos vendedores psicológicos, que estavam esperando um “suspiro” da bolsa, vendem suas posições para os investidores bem-informados.

5. Não tendo mais vendedores psicológicos, a bolsa começa a recuperar-se, com os investidores bem-informados ganhando convicção e comprando.

6. Agora que a bolsa afastou-se de verdade de seus pontos mínimos, os investidores bem-informados começam a ficar seletivos nas suas compras, vendendo papéis que ficaram caros e comprando outros que ainda não subiram. Os primeiros investidores psicológicos começam a sentir um calorzinho gostoso, e arriscam a volta.

7. Os investidores bem-informados começam a achar a bolsa meio cara, e começam a se desfazer de suas posições. Sempre aos poucos, pois os investidores bem-informados não têm a pretensão de acertar na mosca. Os investidores psicológicos começam a entrar em maior número.

8.  A bolsa retoma o processo de alta firme, inequívoca. O otimismo toma conta. Os investidores psicológicos, que perderam quase toda a alta, não aguentam ficar fora da festa, e compram aos bandos. Compram as últimas posições dos investidores bem informados.

9. A euforia da bolsa sai na capa da Exame. É o fim.

Você é um investidor bem-informado ou psicológico?

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Comentários (02)

  1. "9) A euforia da bolsa sai na capa da Exame. É o fim."

    hahahaha Perfeito ! Indicativo melhor do que este não há…

    Renato C, em 20 de agosto de 2011. Responder
  2. Vamos lá, Dr. Money: o momento atual já é do investidor bem informado começar a comprar ou é melhor esperar alguns meses? Pode falar pois ninguém está nos ouvindo…

    Roberto Pina Rizzo, em 04 de junho de 2011. Responder

Escreva um comentário